Monthly Archives: Setembro 2011

Delegação paranaense de basquete de rua foi ao Rio de Janeiro para a final nacional da LIIBRA

Por Assessoria de Imprensa/CUFA-PR

A delegação da Paraná chegou dia 23 de Setembro ao Rio de Janeiro direto para o Viaduto Negrão de Lima para reconhecer a quadra e preparar-se para as primeiras partidas na Liga Internacional de Basquete de Rua, evento promovido pela CUFA reúne estados do Brasil inteiro. É o maior evento de esporte social do País que reúne jovens de diversas periferias do Brasil.

Esse é a primeira vez que uma delegação paranaense chega à etapa nacional pelas mãos do então Coordenador Estadual de Esportes da Cufa PR Marcos Moreira, apesar da falta de experiência em coordenar as seletivas paranaenses da LIIBRA PR, a vontade de vencer foi maior que a experiência, assim os resultados foram positivos, pois Jah na Estrada 1º colocado estadual do Paraná foi 3º colocado da etapa Nacional.

Conforme já havia sido falado, o dia de hoje, 25 de setembro de 2011 entrou para a história da CUFA e da LIIBRA. O dia começou bem com a etapa estadual do Bradan – Brasil Break Dance, que incendiou a quadra da LIIBRA. A apresentação ficou por conta do professor de break da CUFA, Lucas José e do Mestre de Cerimônia Avalanche.

A presidente da LIIBRA, Neg Gizza deu inicio ao cerimonial e chamou os patrocinadores e amigos para compor essa grande festa, foram eles: Júlio Cesar representando a Eletrobras, Paulo Vicente representando a Rede Globo, Hélio Mattos representando o ministério dos esportes, e todos falaram da importância dessa união em prol da cultura.

Quem também prestigiou o evento e arrancou muitos aplausos da galera, foi o rapper MV Bill, presidente de honra da LIIBRA. A SporTV iniciou a transmissão ao vivo dos jogos. As finais das categorias Liibrinha, feminina e masculina. Que foram um sucesso e estavam super competitivas.

Na categoria Liibrinha o terceiro lugar ficou para o time de São Paulo, o segundo lugar para o time de Minas Gerais, e o primeiríssimo lugar para o Rio de Janeiro. Já na categoria feminina foram as guerreiras de Santa Catarina que levaram a melhor garantindo o primeiro lugar, em seguida, ocupando a segunda posição veio o time de São Paulo e em terceiro as meninas que representaram o estado do Ceará. Na categoria masculina os guerreiros do asfalto que vieram lá da região Sul do país, do Paraná conquistaram a terceira posição, quem representou o segundo lugar foi o pessoal lá de São Paulo, quem garantiu a vitória desse grande circuito nacional da LIIBRA 2011 foram os cariocas, que mandaram ver!

Confira todos os detalhes: http://liibra.com/

O Jovem Fernado Castagna foi destaque na Estréia do CUFA Talentos

Por Raylene Oliveira

Sabemos que grandes talentos estão em lugares que menos imaginamos para isso a Central Única das Favelas de Maringá (CUFA Maringá) lançou no dia 24 (sábado) o Projeto CUFA Talentos, que visa descobri-los nos mais diversos setores e segmentos. Para inaugurá-lo a instituição “bateu um papo” com maringaense e rapper Fernando Castagna Avancini (22), mais conhecido com Sheidi S5, ele falou um pouco da sua vida e também por sua paixão pelo Rap Gospel.

Confira nosso bate papo com o  Rapper Sheidi S5:

CUFA Maringá: Quem é Fernando Castagna Avancini?

Sheidi S5: Tenho 22 anos, nasci e moro em Maringá, no Jardim Santa Rosa, onde morei boa parte da minha vida, mas antes morei 1 ano no jardim liberdade, moro com meus pais, dois irmãos e minha sobrinha, graças a Deus nunca passei fome mais sou de família humilde e guerreira tudo conquistado até hoje foi com trabalho e vontade de vencer.

CUFA Maringá: Qual é o Seu Talento?

Sheidi S5: MC  de Rap Gospel, um talento que nem  todos  tem ,  eu tive a sorte de ser presenteado com esse dom, o dom de  comunicar através de rimas que alcançam varias pessoas de muitas formas.

CUFA Maringá: Como foi que você teve contato com o Rap/Hip Hop? E Porque Resolveu Cantar Rap?

Sheidi S5: Bom eu jogava Futebol, nos dias de Sábado, a mãe de um amigo que jogávamos juntos ela que levava  agente para as partida, sempre ele Ligava o Radio da mãe  e quase sempre tocava “LOSE YOURSELF ” do Eminem,  e eu comecei a curtir realmente e   por esse motivo  fui me interessando  e correndo atrás de musicas, na época não tinha computador então eu  ficava ouvindo radio tempo todo  pra ouvir um Rap. Eu ficava com um papel e caneta na frente da TV na MTV pra anotar os nomes pra depois,  pedir pra alguns amigos que tinha PC pra baixar para mim.Foi assim meu contato com Rap. Ressorvi cantar depois que ocorreu umas coisas inesperada comigo, rompi o ligamento cruzado dos 16 para 17 anos, passei por cirurgia, e na cama do hospital eu ficava o dia inteiro ouvindo rap em um Mp3 , em casa a mesma coisa, pois  ficava o dia inteiro sentado, a partir daí   comecei a escrever e me  inspirando no que ou ouvia, não tinha meu estilo ainda isso veio com o tempo , e estou ate hoje.

CUFA Maringá: Quais tipos de temas Aborda Suas Letras?

Sheidi S5: Minhas letras são evangélicas a chamada Rap Gospel, passo a palavra de Deus adiante, falando do seu amor da sua misericórdia, e da vantagem de viver  vida ao lado do Rei, também falo muitas vezes sobre experiências vivenciadas por mim mesmo, muitas  pessoas si identificam.

CUFA Maringá: Quais suas influências Musicais no Rap e Fora do Rap?

Sheidi S5: No Rap: Eminem , 2PAC , Dr.Dre , X-zibit , Snoop Dogg , Ice Cube , Thaide , Cabal C4 , Lil Jon , Pregador Luo , Pastor Ton , Dmn

Fora do Rap : Link Park , AC/DC

CUFA Maringá: O que é Movimento Hip Hop pra Você?

Sheidi S5: Todo o Movimento do Hip hop para mim é FABULOSO, tanto na parte da dança, do grafiti e da  musica,   é uma forma de você se encontrar como pessoa, uma forma de você si sentir e que está sendo um exemplo na vida para quem ouve o que você está abortando na musica. O hip hop é muito desvalorizado em Maringá, não só em aqui mais no Brasil, no município ainda não temos o espaço e a valorização que merecemos, é claro que temos eventos mais  não tem a atenção devida, muitas pessoas que não conhecem a cultura diz que é ” COISA DE QUEM NÃO PRESTA “. Isso me deixa triste, pois o hip hop tem muito a oferecer a sociedade, muito a acrescentar, muitos jovens sai das ruas e das drogas em função do movimento hip hop das aulas de break , street dance , c-walk , street ball e varias outras coisas, os jovens si identificam muito com isso e querem cada vez mais estar envolvidos, o movimento  encanta,  ensina e forma pessoas de bem, o lado totalmente admirável na cultura indiscutivelmente é o protesto contra quem não liga pra gente, mais pra mim o hip hop é isso é festa é ensinamento é conhecimento é protesto é vida!

CUFA Maringá: O que achou do CUFA TALENTOS?

Sheidi S5: Eu achei uma  excelente iniciativa, pois só assim teremos oportunidades de  mostrar o nosso talento e descobrir os excluídos do nosso município. O Cufa Talentos vá dar  mais valorização para  Cultura  de Maringá .

Confira o vídeo Clip: Gravado em Maringá, na  Vila Olimpica, Avenidas da Cidade e Quadra de Basquete UEM  

Paraná nos jogos da FINAL LIIBRA 2011

Segunda Partida ( Paraná 11 x 8 Espírito Santo )

* Primeiro Período

Sobe a bola e é do ES que não converte. Lance livre para Paraná que não converte. Paraná converte o primeiro ponto do jogo num jump. Paraná ganha ponto por free style. E ES converte. Paraná enterra dois pontos. ES converte Lance livre para ES que não converte. Paraná com a posse de bola, não converte. Paraná converte e placar esta 5×2 para eles. O período já esta pelo meio. Bola ao alto por bola presa e posse fica cm o Paraná que não converte. No rebote ES não converte também. E a posse volta ao Paraná. Paraná sobe e converte. Bola chora e não cai para o ES. Lance livre para ES que não converte. Falta para Paraná e cesta do ES. Lance livre para ES que converte e se aproxima no placar, 6×4. Lance livre para ES que não converte. O período vai terminando e Paraná converte.

* Segundo Período

Bola do Paraná que converte de primeira. Não se marca zona e cartão amarelo para Paraná. Lance livre para Es que não converte. ES num jump converte. A bola chora e cai para Paraná. ES no rebote. Paraná no mano a mano se da melhor mas não marca. 8×5 para Paraná. Lance livre para Es que não converte. Paraná no jump não converte. lance livre para Paraná que converte. Paraná converte de novo e tem o dobro de pontos de Espírito Santo. Es converte. O período já vai pela metade. Paraná corta o jump de Es. Es de posse da bola converte. Es nu jump não converte. Paraná chama pra dançar, dribla e converte. Posse de bola para ES que não converte. O período vai terminando e o placar ta 11×7 para Paraná. Posse para Paraná que não converte. No rebote Es marca cesta e fim de período.

Mais Informações ;

http://www.liibra.com/

O Projeto CUFA Talentos estreará com a entrevista do Jovem Fernando Castagna

Por Raylene Oliveira

No próximo sábado dia 24 de setembro de 2011, as 15:hrs na Praça de Patinação a CUFA ( Central Única das Favelas de Maringá/PR) estreiará o CUFA Talentos um projeto que visa descobrir novos talentos nas comunidades de Maringá e região, abrindo espaço e dano visibilidade por meio de entrevistas para todas as pessoas que tiverem um talento seja na musica, dança, arte e esporte. Portanto, um projeto de inovações para o ano de 2011, com um novo formato, com uma produção mais dinâmica e uma melhor estrutura, está claro que o CUFA Talentos se consolidará definitivamente, abrindo perspectivas, novos horizontes e nova esperança para os talentos da nossa cidade, excluídos da nossa cena cultural e do próprio mercado de trabalho por absoluta falta de apoio. A estréia será Com Jovem Maringaense Fernando Avanici de 22 anos, Qual será o talento dele ? Aguardem !

Valorizar a arte das nossas comunidades é a maneira mais certa de contribuir para o resgate dos nossos valores culturais. Para isto, o CUFA Talentos é o caminho.

Mais Informações:

E-mail: cufamaringa@gmail.com

Telefone: 44-9868-4606


BRADAN PARANAENSE

Foi nas Periferias das grandes cidades que surgir o Rap e o Break Dance, uns dos pilares da Cultura Hip-Hop. Mas o crescimento das cidades de médio porte
fez com que as modalidades se espalhassem pelo interior do Brasil e do Mundo, assim B. boyse B. girls de todo Paraná vem disputando o BRADAN (Brasil Break Dance) o maior campeonato de Break do país realizado pela CUFA (Central Única das Favelas ) do Paraná, em auto-estilo B.boys disputa por vaga para estarem entre as 20 duplas finalista estadual.

No entanto, todas estas disputas entre os B.Boys e B. girls é pelo fato que apenas uma só dupla seguira para grande final nacional em Uberlândia-MG, nos dias 21 e 22 de Outubro de 2011. Porém, a grande final paranaense acontecerá na cidade de Londrina-PR, todos os detalhes sobre está grande final estará vinculando junto às mídias informativas das bases paranaenses, não deixe de prestigiar e participar.

Se em 2010 foi disputadíssimo imagina 2011 com B.boys e B.girls de todo estado do Paraná, disputando movimento a movimento para ser o representante estadual, que vença o melhor, são os votos da CUFA PR. Confira o que rolou na eliminatória de Sarandi PR!

CUFA Bahia realiza aula inaugural do Pré Cufa com as presenças de MV Bill e Celso Athayde

Em um evento que reuniu cerca de 150 pessoas no Centro Pastoral Afro Padre Heitor, em Sussuarana, o Rapper MV Bill e o Produtor Cultural Celso Athayde, co-fundadores da Central Única das Favelas – CUFA, e produtores do documentário “Falcão – Meninos do tráfico”, abriram as atividades do pré-vestibular Pré-Cufa, curso gratuito voltado para jovens em situação de risco social de bairros periféricos de Salvador. Autoridades, alunos, familiares, religiosos e representantes de diversas organizações estiveram presentes para prestigiar o evento e conhecer melhor o projeto que vai beneficiar cerca de 50 jovens, com idade entre 16 e 22 anos, com cursos de capacitação profissional, através de financiamento internacional.

A coordenadora da CUFA Sussuarana Danubia Santos, falou das atividades da organização. “O trabalho da Cufa é mais voltado para arte de rua e aqui na Bahia começamos com educação e conhecimento. O Pré Cufa é um projeto piloto que pretende ser levado para outros 5 estados. Nosso objetivo é atingir 50 jovens, inicialmente, com um curso pré vestibular com ênfase em cidadania. Jovens que vão levar para a vida, além do conhecimento acadêmico, uma formação social que vai trabalhar a elevação da autoestima e desenvolvimento do senso crítico através de teatro, música, debates e filmes “, completou Danubia.

Chegada do projeto – desigualdade social

O projeto surgiu em 1998, a partir de uma visita de MV Bill e Celso Athayde à Salvador. “A idéia surgiu quando nos deparamos com o tamanho da desigualdade social do povo baiano. Hoje, ao retornarmos à Salvador trazendo o projeto, buscamos o mesmo êxito dos outros estados. Queremos ampliar a atuação para outros focos como área cultural, musicalidade e consciência social, com participação e inclusão”, afirmou MV Bill.

Novo modelo

Os trabalhos da CUFA são realizados em outros 26 estados, em 412 cidades, com um outro formato, que envolve esporte e música. Na Bahia, na versão pré-vestibular, é um modelo piloto, como definiu Celso Athayde. “O conhecimento é o maior patrimônio de um ser humano para se desenvolver como pessoa. Entendemos que a educação é o fio condutor de qualquer processo. O modelo aqui adotado está sendo analisado para implantação em outros locais. Pretendemos implantar ações em várias áreas na Bahia, mas vamos começar com educação”, afirmou Athayde.

Periferia, violência e drogas

Cerca de 83% da população de Salvador é composta por negros que vivem nas periferias. Neste universo, os jovens são os maiores prejudicados, porque nem sempre tem oportunidade e muitas vezes são levados para o mundo do crime e das drogas. O Presidente da Frente Parlamentar de Defesa dos Direitos da Juventude e Deputado Estadual, Yulo Oiticica, falou do benefício que o Pré Cufa trará para os jovens de Sussuarana. “A Cufa tem possibilitado o que para nós é algo muito novo, mas determinante para essa mudança de rumo do protagonismo infantil. Infelizmente a nossa juventude é vítima fácil do tráfico de drogas. Primeiro consumindo, depois traficando, e por último sendo exterminada, seja pelo traficante ou pela polícia. É fundamental que programas como este aconteçam na periferia da nossa cidade e nos bairros populares. O que a sociedade costuma chamar de bandidos são artistas, que tem talento a flor da pele mas não tem oportunidade”, declarou o parlamentar.